notícias.

Loading...

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Escolha - Eleições Presidenciais - 2010




Escolhemos a candidata Dilma Vana Rousseff, do Partido dos Trabalhadores, porque ela dará continuidade aos projetos do atual presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva.

Candidatos à Presidência - 2010




Dilma Vana Rousseff, nascida em Belo Horizonte, 14 de dezembro de 1947, é uma economista e política brasileira, filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT). Foi ministra-chefe da Casa Civil durante o Governo Lula, e é a candidata do partido à Presidência da República, em 2010.




José Serra, nascido em São Paulo, 19 de março de 1942, é um economista e político brasileiro, filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Em 2006 foi eleito governador do estado de São Paulo, sendo até hoje o único eleito em primeiro turno.




Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima, nascida em Rio Branco, 8 de fevereiro de 1958, é uma política brasileira, ambientalista e pedagoga, filiada ao Partido Verde.

Marina Silva se afastou recentemente das funções de senadora pelo Acre, devido às suas ocupações como candidata do Partido Verde à Presidência da República em 2010.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Filme Ágora








Sinopse
Século IV. No Egipto, sob o poder do Império Romano, violentos confrontos sociais e religiosos invadem as ruas de Alexandria… Presa entre paredes, sem poder sair da lendária livraria da cidade, a brilhante astrónoma, Hypatia, com a ajuda dos seus discípulos, faz tudo para salvar os documentos da sabedoria do Antigo Mundo… Entre os discípulos, encontram-se dois homens que disputam o seu coração: o inteligente e privilegiado Orestes e o jovem Davus, escravo de Hypatia, dividido entre o amor secreto que nutre por ela e a liberdade que poderá ter ao juntar-se à imparável vaga de Cristãos.








Com um orçamento de 50 milhões de dólares, um elenco onde se salienta Rachel Weisz, elementos de acção equilibrados com momentos dramáticos e momentos onde o espectador é obrigado a usar o seu espírito crítico, o filme Ágora, de Alejandro Amenábar, tem tudo para ser considerado um filme épico.
Uma história com séculos de idade, filmado em pleno Egipto com detalhes autênticos e um elenco de diversas nacionalidades, Ágora prima pela precisão, pelo entretenimento que oferece e carácter educacional que assume. Infelizmente, por não se tratar de um filme que aborde aspectos mais comerciais, talvez não venha a ter o retorno merecido, face a um orçamento dispendioso.
Rachel Weisz é a protagonista com a sua personagem Hypatia, uma lendária filosofa e matemática da antiga Alexandria, numa altura em que o Império Romano começava a entrar em declínio e a aceitar o Cristianismo como a religião legal, sendo que a religião é um dos pontos chave do enredo do filme. Seria o confronto entre o Cristianismo e os interesses pagãos a despoletar uma revolta dos Cristãos.
Na primeira parte do filme conhecemos Hypatia como professora, a ensinar matemática e astronomia aos seus discípulos e a tentar solucionar o enigma das órbitas planetárias em torno do Sol. Famosa por guiar a sua vida pelas Ciências e não seguir cegamente uma religião, normalmente não fazia distinções entre os seus alunos, quer fossem Cristãos ou Pagãos, embora, em situações de maior pressão, revelasse algum desdém pelos escravos. Ao não revelar diferenças entre as duas religiões, originou uma situação de um triângulo amoroso, entre o seu escravo Davus (Max Minghella) e Orestes (Oscar Isaac). No entanto, este aspecto não seria bem explorado, uma vez que a acção principal centra-se no confronto entre as duas principais religiões da região. Na segunda parte do filme, verifica-se novo confronto entre ideiais religiosos, visto que grande parte dos Pagãos se converteram ao Cristianismo, os Cristãos focaram as suas atenções nos Judeus, uma religião emergente.



Ágora viveu para as expectativas de um filme épico, muito simples, muitos bons pormenores na sua filmagem, perfeito equilíbrio entre a história e a dramatização, onde o elenco esteve soberbo, especialmente na performance de Max Minghella, onde a sua passagem de escravo a soldado Cristão é uma das imagens que será certamente recordada. Amenábar correu um risco deste filme poder ficar um manifesto anti – Cristianismo, com diversas cenas de violência, o que não foi um caso, embora possamos considerar um manifesto contra o extremismo. A única crítica que se aponta deve-se ao facto de ter ficado por explorar de forma mais profunda o triângulo amoroso entre Hypatia e dois dos seus discípulos. Não seria o aspecto mais dominante num filme de forte componente histórica, religiosa e científica, no entanto, uma boa longa metragem não deve ter pontas soltas.
Num filme com grande componente histórica e científica, à qual a figura de Hypatia tem obrigatoriamente de vir associada, existe o perigo de não corresponder à exigência de um público que prefira produções mais actuais e comerciais. Será Ágora muito avançado para o seu tempo? Talvez! No entanto, o seu carácter épico, seja de que forma for, deixará uma importante marca em todos os espectadores.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Elementos de um sujeito ético




A consciência é uma qualidade da mente, considerando abranger qualificações tais como subjetividade, auto-consciência, sentiência, sapiência, e a capacidade de perceber a relação entre si e um ambiente. É um assunto muito pesquisado na filosofia da mente, na psicologia, neurologia, e ciência cognitiva.


Responsabilidade é a obrigação a responder pelas próprias ações, e pressupõe que as mesmas se apoiam em razões ou motivos. O termo aparece em discussões sobre determinismo e livre-arbítrio, pois muitos defendem que se não há livre-arbítrio não pode haver responsabilidade individual pois as ações pelas quais o individuo seria responsabilizado não foram praticadas de livre e espontânea vontade, e consequentemente, também podem ser uma pessoa muito errada: um aluno,um professor e um cidadão não pode haver nem castigo nem punição justa para atos julgados irresponsáveis.


Vontade é a intencionalidade é a capacidade através da qual tomamos posição frente ao que nos aparece. Diante de um fato, podemos desejá-lo ou rejeitá-lo. Ante um pensamento, podemos afirmá-lo, negá-lo ou suspender o juízo.


Liberdade, em filosofia, designa de uma maneira negativa, a ausência de submissão, de servidão e de determinação, isto é, ela qualifica a independência do ser humano. De maneira positiva, liberdade é a autonomia e a espontaneidade de um sujeito racional. Isto é, ela qualifica e constitui a condição dos comportamentos humanos voluntários.

Moral e Ética.



A confusão que acontece entre as palavras Moral e Ética existem há muitos séculos. A própria etimologia destes termos gera confusão, sendo que Ética vem do grego “ethos” que significa modo de ser, e Moral tem sua origem no latim, que vem de “mores”, significando costumes.
Esta confusão pode ser resolvida com o esclarecimento dos dois temas, sendo que Moral é um conjunto de normas que regulam o comportamento do homem em sociedade, e estas normas são adquiridas pela educação, pela tradição e pelo cotidiano. Durkheim explicava Moral como a “ciência dos costumes”, sendo algo anterior a própria sociedade. A Moral tem caráter obrigatório.
Já a palavra Ética, Motta (1984) defini como um “conjunto de valores que orientam o comportamento do homem em relação aos outros homens na sociedade em que vive, garantindo, outrossim, o bem-estar social”, ou seja, Ética é a forma que o homem deve se comportar no seu meio social.
A Moral sempre existiu, pois todo ser humano possui a consciência Moral que o leva a distinguir o bem do mal no contexto em que vive. Surgindo realmente quando o homem passou a fazer parte de agrupamentos, isto é, surgiu nas sociedades primitivas, nas primeiras tribos. A Ética teria surgido com Sócrates, pois se exigi maior grau de cultura. Ela investiga e explica as normas morais, pois leva o homem a agir não só por tradição, educação ou hábito, mas principalmente por convicção e inteligência. Vásquez (1998) aponta que a Ética é teórica e reflexiva, enquanto a Moral é eminentemente prática. Uma completa a outra, havendo um inter-relacionamento entre ambas, pois na ação humana, o conhecer e o agir são indissociáveis.
Em nome da amizade, deve-se guardar silêncio diante do ato de um traidor? Em situações como esta, os indivíduos se deparam com a necessidade de organizar o seu comportamento por normas que se julgam mais apropriadas ou mais dignas de ser cumpridas. Tais normas são aceitas como obrigatórias, e desta forma, as pessoas compreendem que têm o dever de agir desta ou daquela maneira. Porém o comportamento é o resultado de normas já estabelecidas, não sendo, então, uma decisão natural, pois todo comportamento sofrerá um julgamento. E a diferença prática entre Moral e Ética é que esta é o juiz das morais, assim Ética é uma espécie de legislação do comportamento Moral das pessoas. Mas a função fundamental é a mesma de toda teoria: explorar, esclarecer ou investigar uma determinada realidade.
A Moral, afinal, não é somente um ato individual, pois as pessoas são, por natureza, seres sociais, assim percebe-se que a Moral também é um empreendimento social. E esses atos morais, quando realizados por livre participação da pessoa, são aceitas, voluntariamente.
Pois assim determina Vasquez (1998) ao citar Moral como um “sistema de normas, princípios e valores, segundo o qual são regulamentadas as relações mútuas entre os indivíduos ou entre estes e a comunidade, de tal maneira que estas normas, dotadas de um caráter histórico e social, sejam acatadas livres e conscientemente, por uma convicção íntima, e não de uma maneira mecânica, externa ou impessoal”.
Enfim, Ética e Moral são os maiores valores do homem livre. Ambos significam "respeitar e venerar a vida". O homem, com seu livre arbítrio, vai formando seu meio ambiente ou o destruindo, ou ele apóia a natureza e suas criaturas ou ele subjuga tudo que pode dominar, e assim ele mesmo se torna no bem ou no mal deste planeta. Deste modo, Ética e a Moral se formam numa mesma realidade.



por:// Thaline e Ana Luíza.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Livro: Alice - No País das Maravilhas e Através do Espelho


Chegou aos cinemas brasileiros, em abril, a versão do diretor Tim Burton para a obra mais conhecida da literatura infantil. Passados quase 150 anos da publicação original, a clássica história de uma menina chamada Alice, que entra em uma toca atrás de um coelho falante e cai em um mundo de fantasia, continua popular.

A charmosa edição de bolso, com capa dura e ilustrações originais de John Tenniel, reúne Aventuras de Alice no País das Maravilhas e sua continuação, Através do espelho e o que Alice encontrou por lá. Obra-prima que não pode faltar na sua biblioteca – e com um preço que cabe no seu bolso.

http://www.zahar.com.br/doc/c0662.jpg

O leitor brasileiro tem agora a edição definitiva e consagrada de Aventuras de Alice no País das Maravilhas e Através do Espelho, com suas ilustrações originais, obras-primas de Lewis Carroll que não podem faltar nas bibliotecas, escolas e, naturalmente, em sua casa.
As notas de Martin Gardner – um dos maiores especialistas em Carroll – dão sentido a passagens nunca antes elucidadas, esclarecendo trocadilhos de época, enigmas lógicos e referências à vida pessoal do autor, além de tornarem possível uma tradução mais próxima da versão original. Uma revolução nas interpretações das histórias de Alice, proporcionando a crianças e adultos do século XXI o caminho perfeito para penetrar no País das Maravilhas e no mundo invertido do Espelho. Cortem a cabeça de quem ficar de fora desta!

Em grande formato, o livro traz ainda:
• além de todas as ilustrações originais de John Tenniel, também esboços recém-descobertos
• introdução situando Alice no País das Maravilhas e Através do Espelho no contexto da Inglaterra vitoriana
• bibliografia da obra de Lewis Carroll, enriquecida com edições em português
• filmografia, com todos os filmes já produzidos sobre Alice...

...e mais:
• episódio inédito de Através do Espelho: “O Marimbondo de Peruca”

por: Ana Luíza

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Alice no País das Maravilhas.

Bom Dia! post passado, comentei sobre Lewis Carroll, o autor do clássico Alice. Hoje vim falar sobre o filme que será lançado amanhã 23/04/2010, e hoje terá pre-estreia em 3D, galera! Tava louca pra ir, mas não vai dá msm, porque amanhã vou ter prova. Queria ir amanhã tbm, mas denovo não vai dá, pq sabado irei fazer a prova da FANOR. Então vai ser só sabádo msm D: Mas tudo bem, eu já vi o filme.




Pra quem quiser saber mais:




"Alice in Wonderland (em Português: Alice no País das Maravilhas) conhecido também como Tim Burton's Alice in Wonderland, é o novo filme de Tim Burton, baseado no clássico Alice no País das Maravilhas escrito por Lewis Carroll. O filme começou a ser rodado em maio de 2008 e estreou dia 5 de março de 2010 nos Estados Unidos. No Brasil, a data de estreia foi no dia 21 de abril, mas posteriormente foi alterada para 23 do mesmo mês, com a explicação que o filme de Tim Burton terá um alcance de um público maior, chegando em mais salas de cinema.
O filme se passa 13 anos após a história original, com Alice já com 17 anos. O filme tem no elenco Mia Wasikowska como Alice, Johnny Depp como o Chapeleiro Maluco, Helena Bonha Carter como a Rainha Vermelha e Anne Hathaway como a Rainha Branca
.
Na primeira semana de lançamento nos
EUA o filme Alice in Wonderland foi o mais assistido e que faturou no país. O longa arrecadou mais de R$ 232,6 milhões em sua estreia. O filme também ganhou o título de "maior estreia em 3D", superando a estreia do até então campeão global em bilheterias de todos os tempos, Avatar com seus R$ 154 milhões no primeiro fim de semana em cartaz.Segundo o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), em Portugal o filme também liderou as salas de cinema do país, com mais de 600 mil euros arrecadados, pelos mais de 95 mil espectadores na semana de 11 a 17 de março de 2010. Um jogo baseado no longa foi lançado para o Wii em 2010."


Sinopse
Alice, agora aos 19 anos, está em uma festa da nobreza em Oxford, onde vive, até que descobre que está prestes a ser pedida em casamento. Desesperada, ela foge seguindo um coelho branco, e vai parar no País das Maravilhas, um local que ela visitou quando tinha treze anos mas não se lembrava mais.
Elenco
Mia Wasikowska .... Alice
Johnny Depp .... Chapeleiro Maluco
Helena Bonham Carter .... Rainha de Copas
Anne Hathaway .... Rainha Branca
Matt Lucas .... Tweedle-Dee e Tweedle-Dum
Crispin Glover .... Valete de Copas
Geraldine James.... Lady Ascot
Alan Rickman .... Lagarta
Timothy Spall .... The Bloodhound
Michael Sheen ....
Coelho Branco
Christopher Lee .... The Jabberwock
Eleanor Tomlinson .... Fiona Chataway
Stephen Fry .... Gato Risonho (The Cheshire Cat)




Bom, dá pra notar que o filme vai ser perfeito né! Claro que o Tim Burton mudou algumas coisas, como a idade de Alice, no filme é como se ela tivesse voltado ao país das maravilhas, etc.


E ele colocou também novos personagens, e uma açãozinha no final. Mas dos livros, essa adaptação é mais parecida com o através do espelho. Mas é a mistura dos dois, como também o clássico em desenho animado da Disney é uma mistura, mas tem mais no país das maravilhas.


Tim Burton, o diretor e Johnny Depp como "o chapeleiro maluco"
O filme não tem como ser ruim com Johnny Depp e Tim Burton. Todo filme deles é perfeito.


Bom, assistam e comprovem! Sabádo- com muito pesar HSAUSHAUH (preferiamos ir na estreia D:) eu e a Ana Luiza estaremos lá na sessão 3D do Iguatemi de 21:20!Beeijos.




- Thaline